Search
Tuesday 17 October 2017
  • :
  • :

Desvendando o Apocalipse – Introdução

Desvendando o Apocalipse – Introdução
“Desvendando o Apocalipse”, um estudo verso a verso do último e mais intrigante livro da Bíblia. Os textos são da colaboradora jornalista Graciela Érika Rodrigues, inspirados nas palestras do advogado Mauro Braga.Este estudo tem o objetivo de apresentar as verdades contidas no livro do Apocalipse de maneira direta e simples. Está livre de interpretações pessoais ou de alguma denominação religiosa. A Bíblia e a própria história da humanidade são as únicas fontes usadas nos textos.É muito comum vermos a imprensa de todo o mundo, pessoas cultas e formadores de opinião insistirem em afirmar que o Apocalipse (último livro da seleção do cânon bíblico, escrito pelo apóstolo João) é algo ligado a grandes catástrofes, calamidades e fim do mundo. Mas você já parou para pensar qual é o verdadeiro significado dessa palavra?

“Apocalipse” significa, em grego, “revelação”. As perguntas são: Revelação de quem? Para quem? E sobre o quê? Peço que você pare um pouco e reflita sobre essas três questões. Voltarei a elas posteriormente.

Antes de começar a mostrar o que a Bíblia fala sobre esse livro, convido-o(a) a participar de um breve, porém crucial histórico do autor, o apóstolo João.

Por que João foi escolhido para escrever o Apocalipse? João tinha 85 anos quando começou a escrever o livro. Estava preso e isolado em Patmos, uma ilha árida e rochosa no mar Egeu, na Grécia, escolhida pelo governo romano para banimento de criminosos.João tinha 17 anos quando viu Jesus pela primeira vez.

Mateus 4:18 a 21: “E Jesus, andando junto ao mar da Galiléia, viu a dois irmãos, Simão, chamado Pedro, e André, os quais lançavam as redes ao mar, porque eram pescadores. E disse-lhes: Vinde após Mim, e Eu vos farei pescadores de homens. Então eles, deixando logo as redes seguiram-No. E, adiantando-Se dali, viu outros dois irmãos, Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, num barco com seu pai, Zebedeu, consertando as redes. Chamou-os; eles, deixando imediatamente o barco e seu pai, seguiram-No.”

Os irmãos Tiago e João eram pescadores e estavam consertando o barco do pai, provavelmente para saírem em mais uma viagem ao mar. Porém, quando ouviram o chamado de Jesus para O acompanharem, largaram tudo e O seguiram.

Os relatos bíblicos seguintes confirmam que João esteve presente nos momentos mais importantes da vida de Jesus.

João foi consultado sobre o desaparecimento do corpo de Jesus.

João 20:1 e 2: “E no primeiro dia da semana, Maria Madalena foi ao sepulcro de madrugada, sendo ainda escuro, e viu a pedra tirada do sepulcro. Correu, pois, e foi a Simão Pedro, e ao outro discípulo, a quem Jesus amava, e disse-lhes: Levaram o Senhor do sepulcro, e não sabemos onde o puseram.”
João fala dele mesmo na terceira pessoa, usando as palavras “a quem Jesus amava”.João estava presente quando Jesus ressuscitou a filha de Jairo.
Lucas 8:49 a 51: “Estando Ele ainda falando, chegou um dos príncipes da sinagoga, dizendo: A tua filha já está morta, não incomodes o Mestre. Jesus, porém, ouvindo-o, respondeu-lhe, dizendo: Não temas; crê somente, e será salva. E, entrando em casa, a ninguém deixou entrar, senão a Pedro, e a Tiago, e a João, e ao pai e a mãe da menina.”

João foi um dos escolhidos para subir ao monte com Jesus onde contemplou Sua transfiguração.

Mateus 17:1 e 2: “Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro, e a Tiago, e a João, seu irmão, e os conduziu em particular a um alto monte. E transfigurou-Se diante deles; e o Seu rosto resplandeceu como o sol, e as Suas vestes se tornaram brancas como a luz.”

João foi levado junto ao Getsêmani enquanto Jesus orava.

Mateus 26:36 e 37: “Então chegou Jesus com eles a um lugar chamado Getsêmani, e disse a Seus discípulos: Assentai-vos aqui, enquanto vou além orar. E, levando consigo Pedro e os dois filhos de Zebedeu, começou a entristecer-Se e a angustiar-Se muito.”

João estava presente no momento em que Jesus era julgado na corte.

João 18:15 e 16: “E Simão Pedro e outro discípulo seguiam a Jesus. E este discípulo era conhecido do sumo sacerdote, e entrou com Jesus na sala do sumo sacerdote. E Pedro estava na parte de fora, à porta. Saiu então o outro discípulo que era conhecido do sumo sacerdote, e falou à porteira, levando Pedro para dentro.”

João estava aos pés da cruz quando Jesus foi crucificado.

João 19:25 a 27: “E junto à cruz de Jesus estava Sua mãe, e a irmã de Sua mãe, Maria mulher de Clopas, e Maria Madalena. Ora Jesus, vendo ali Sua mãe, e que o discípulo a quem Ele amava estava presente, disse a Sua mãe: Mulher, eis aí o teu filho. Depois disse ao discípulo: Eis aí tua mãe. E desde àquela hora o discípulo a recebeu em sua casa.”

Não foi por acaso que João foi chamado de o apóstolo amado. Ele esteve presente nos momentos mais importantes da vida de Jesus. Estava sendo preparado para algo muito maior.

Ele não era um homem perfeito. Amava a Deus de todo o coração, mas tinha uma personalidade forte. A própria Bíblia se refere a isto em Marcos 3:17.

Marcos 3:17:”E a Tiago, filho de Zebedeu, e a João, irmão de Tiago, aos quais pôs o nome de Boanerges, que significa Filhos do trovão.”
Apesar de ser uma pessoa difícil, talvez até explosivo, João sempre odiou as injustiças do Império Romano.
João 13:33: “Filhinhos, ainda por um pouco estou [Jesus] convosco. Vós Me buscareis, mas, como tenho dito aos judeus: Para onde Eu vou não podeis vós ir; Eu vo-lo digo também agora.”
O momento era a Santa Ceia e Jesus falava aos discípulos sobre o lugar para onde Ele partiria. João ficou angustiado porque não entendia o recado do Mestre. Os apóstolos achavam que havia chegado a hora de Jesus mostrar todo o Seu poder, tornar-Se rei e acabar com toda dor, medo e injustiças cometidas contra os judeus.
Mateus 20:21: “Então Se aproximou dEle a mãe dos filhos de Zebedeu, com seus filhos, adorando-O, e fazendo-Lhe um pedido. E Ele disse-lhe: Que queres? Ela respondeu: Dize que estes meus dois filhos se assentem, um à Tua direita e outro à Tua esquerda, no Teu reino.”
Nesse momento a mãe de Tiago e João chega perto de Jesus para pedir que seus dois filhos tivessem lugares privilegiados em Seu reino. Havia uma disputa política por parte dos apóstolos para saber quais os cargos que receberiam, pois acreditavam que Jesus estabeleceria Seu reino na Terra.
Mateus 20:22: “Jesus, porém, respondendo, disse: Não sabeis o que pedis. Podeis vós beber o cálice que Eu hei de beber, e ser batizados com o batismo com que Eu sou batizado? Disseram-Lhe eles: Podemos.”
A verdade é que nenhum dos apóstolos estava preparado para aquele momento e nem esperavam por ele. Não compreenderam o caráter do reinado de Cristo.
João 18:36: “Respondeu Jesus: O Meu reino não é deste mundo; se o Meu reino fosse deste mundo, pelejariam os Meus servos, para que Eu não fosse entregue aos judeus; mas agora o Meu reino não é daqui.”
A cena era de Jesus perante Pilatos. João estava presente em meio à multidão.Depois que Cristo foi crucificado, começaram as perseguições contra os apóstolos. Alguns foram mortos cruelmente, mas a vida de João foi sendo preservada. Foi aí, então, que João começou a entender que o reinado de Jesus não era deste mundo. Entendeu também qual era seu papel e ministério.Aos 85 anos, João foi escolhido para ser o mensageiro de revelações, não por acaso. Ele foi sendo moldado por Jesus durante toda sua vida, para que pudesse compreender o real significado do ministério de Cristo. Ele foi escolhido por causa do relacionamento íntimo que tinha com o Mestre.
(Fonte: www.criacionismo.com.br)

 




    Deixe uma resposta