Search
Tuesday 25 July 2017
  • :
  • :

Desvendando o Apocalipse – 22 – A Mensagem Final

Desvendando o Apocalipse – 22 – A Mensagem Final

Áudio:

Neste último capítulo, encontramos promessas, bem-aventuranças, certeza sobre o conteúdo do livro, declaração de que o Apocalipse não é um livro selado, conselhos a justos e a ímpios, o caráter dos que não herdarão o reino de Deus, títulos de Jesus, um ardoroso chamado do Espírito Santo e da Nova Jerusalém, advertências sobre acrescentar algo ao santo livro ou tirar-lhe alguma coisa, a certeza da volta de Jesus dada por Ele mesmo, a última oração da Bíblia e a graça do Senhor sobre todos os crentes.

Apocalipse 22:1: “Então me mostrou o rio da água da vida, claro como cristal, que procedia do trono de Deus e do Cordeiro.”


A fonte do rio vem do trono de Deus. Todas as coisas boas da nossa vida provêm de Deus.

Apocalipse 22:2: “No meio da sua praça, em ambas as margens do rio, estava a árvore da vida, que produz doze frutos, dando seu fruto de mês em mês. E as folhas da árvore são para a cura das nações.”


A árvore da vida é a mesma do Éden (Gn 2:9). Está “no meio da sua praça [da Nova Jerusalém], em ambas as margens do rio”.

“As folhas da árvore são para a cura das nações.” Isso não quer dizer que na Nova Terra haverá doentes que necessitem de tratamento, mas que a árvore possa conter certo tipo de vitaminas ou enzimas que previnem o envelhecimento. Seu poder curativo previne todo tipo de doença.

Apocalipse 22:3: “Ali nunca mais haverá maldição. Nela estará o trono de Deus e do Cordeiro, e os Seus servos O servirão.”


O pecado foi destruído e nunca mais retornará. A raça humana já terá experimentado suas terríveis conseqüências. Deus promete que, ao destruir o pecado, “Ele mesmo vos consumirá de todo; não se levantará por duas vezes a angústia” (Naum 1:9).

Apocalipse 22:4: “e verão a sua face, e na sua testa estará o seu nome.”


Neste mundo de pecado, não temos o privilégio de ver a face de Deus. Mas na Nova Terra, viveremos tão perto dEle que poderemos olhar para a Sua face. Essa será a coisa mais importante da Nova Terra; tudo o mais, embora maravilhoso, será secundário, comparado a essa visão real. O Seu nome estará em nossa fronte, pois estaremos selados com o selo do Deus vivo.

Apocalipse 22:5: “Ali não haverá mais noite. Não necessitarão de luz de lâmpada, nem da luz do sol, pois o Senhor Deus os iluminará. E reinarão para todo o sempre.”


Apocalipse 22:6: “Disse-me o anjo: Estas palavras são fiéis e verdadeiras. O Senhor, o Deus dos espíritos dos profetas, enviou o Seu anjo para mostrar aos Seus servos as coisas que em breve hão de acontecer.”


Toda a revelação está concluída. E o anjo pôs o selo de autenticidade divina ao dizer: “Estas palavras são fiéis e verdadeiras.”

Apocalipse 22:7: “Eis que venho sem demora! Bem-aventurado aquele que guarda as palavras da profecia deste livro.”


A volta de Jesus é iminente. Ele está chegando para estabelecer Seu reino eterno e morar com os vitoriosos.

Apocalipse 22:8: “Eu, João, sou quem ouviu e viu estas coisas. E, havendo-as ouvido e visto, prostrei-me aos pés do anjo que me mostrava essas coisas, para adorá-lo.”


No versículo seis, foi o anjo que deu o seu testemunho sobre a autenticidade da profecia. Agora, é a vez de João dizer: “sou quem ouviu e viu estas coisas.”

Apocalipse 22:9: “Então ele me disse: Olha, não faças isso! Sou conservo teu e de teus irmãos, os profetas, e dos que guardam as palavras deste livro. Adora a Deus.”


Ao ser concluída a inspiração do Apocalipse, João ficou tão emocionado que se ajoelhou diante do poderoso anjo. É a segunda vez que ele comete o mesmo erro, e a segunda vez que lhe chamam a atenção (Ap 19:10). O céu proclama que só Deus é digno de adoração.

Apocalipse 22:10: “Disse-me ainda: Não seles as palavras da profecia deste livro, porque próximo está o tempo.”


O próprio significado da palavra “Apocalipse”, ou seja, “Revelação”, já exprime não ser ele um livro selado, fechado ou incompreensível. É um livro aberto para todos aqueles que desejam conhecer o plano de Deus com um coração puro e receptivo.

Apocalipse 22:11: “Quem é injusto, faça injustiça ainda; quem está sujo, suje-se ainda; quem é justo, faça justiça ainda; e quem é santo, santifique-se ainda.”


Apocalipse 22:12: “Eis que cedo venho! A Minha recompensa está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra.”


Esses versículos assinalam o fim do tempo da graça, que ocorre imediatamente antes da segunda vinda de Cristo. Há os que ensinam que haverá um tempo de graça depois de Sua segunda vinda. Mas, em nenhum lugar das Escrituras existe qualquer sugestão a esse respeito.

Não haverá uma segunda chance. Ao voltar Jesus, Ele mesmo declara: “A Minha recompensa está comigo, para dar a cada um segundo a sua obra”, o que constitui uma evidência de que não haverá graça após a Sua segunda vinda.

Ao Jesus terminar Sua obra sacerdotal, então aqueles que são justos continuarão justos, porque todos os seus pecados foram definitivamente apagados. Mas aqueles que são ímpios, continuarão ímpios, porque não haverá mais Sacerdote no santuário celestial para interceder por eles.

Portanto, a decisão de entregar sua vida a Jesus, aceitá-Lo como Salvador e Senhor, deve ser tomada antes de Ele deixar o lugar santíssimo do santuário celestial.

Apocalipse 22:13: “Eu sou o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último, o princípio e o fim.”


Apocalipse 22:14: “Bem-aventurados aqueles que lavam as suas vestes [no sangue do Cordeiro] para que tenham direito à árvore da vida, e possam entrar na cidade pelas portas.”


Em algumas traduções encontramos “bem-aventurados aqueles que guardam os Seus mandamentos”. Outras traduções dizem: “aqueles que lavam as suas vestes”. Qual a tradução correta? Como as palavras do idioma grego são muito parecidas, não podemos estar certos de como era o original.

Enrique Alford comenta o assunto da seguinte maneira: “A diferença que há nos textos é curiosa. É a diferença que há entre as frases: ‘poiountes tas entolas autou’ e ‘plunontes tas stolas auton’. Com relativa facilidade essas frases podem tomar-se uma pela outra. Em vista de que as palavras se parecem de forma tão surpreendente, não é estranho que se encontre essa divergência.”

O fato é que ambas as traduções são aceitáveis. Somente aqueles que lavaram as suas vestes no sangue do Cordeiro são capazes de guardar Seus mandamentos. A obediência nunca é a base da graça; mas a graça de Deus é a única base para a nossa obediência. Foi a desobediência que motivou a saída dos nossos primeiros pais do Éden e os privou de desfrutar da árvore da vida. E é somente através do sacrifício de Cristo, o qual resulta numa vida de submissão e obediência, que qualquer ser humano poderá entrar na cidade e ter direito à árvore da vida.

Apocalipse 22:15: “Ficarão de fora os cães, os feiticeiros, os adúlteros, os homicidas, os idólatras, e todo aquele que ama e pratica a mentira.”


A Bíblia deixa claro que a Nova Jerusalém não é para todos. Os que amam mais o pecado do que a Deus não podem ser incluídos entre os que habitarão a cidade de Deus.

A expressão “os cães” é usada na Bíblia para se referir aos “maus obreiros”. Paulo diz: “Acautelai-vos dos cães! Acautelai-vos dos maus obreiros!” (Fl 3:2).

Apocalipse 22:16: “Eu, Jesus, enviei o Meu anjo para vos testificar estas coisas às igrejas. Eu sou a raiz e a geração de Davi, a resplandecente estrela da manhã.”

A estrela da manhã é a infalível guia dos navegantes; e nós, que navegamos nos mares desta vida, temos em Jesus a estrela que aponta o caminho a seguir.

Apocalipse 22:17: “O Espírito e a noiva dizem: Vem. Quem ouve, diga: Vem. Quem tem sede, venha; e quem quiser, tome de graça da água da vida.”


A última ordem de Deus para Noé, logo antes do dilúvio, foi: “Entra na arca, tu e toda a tua casa” (Gn 7:1). Um apelo semelhante é feito para toda a humanidade hoje. Este é o último convite de Deus para o povo que almeja ser salvo. Ele usa seres humanos como instrumentos no serviço cristão, e através dessas pessoas Ele estende o convite a você.

Apocalipse 22:18: “Eu advirto a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro: Se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus lhe acrescentará as pragas que estão escritas neste livro.”


Apocalipse 22:19: “E se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus lhe tirará a sua parte da árvore da vida, e da cidade santa, que estão escritas neste livro.”


O recado de Deus é uma solene advertência aos que adulteram a Sua palavra, colocando em risco a destino eterno de pessoas.

Apocalipse 22:20: “Aquele que dá testemunho destas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Vem, Senhor Jesus.”


No último adeus de Cristo à Sua igreja, Ele faz a Sua última promessa: “Certamente, venho sem demora.” Não é apenas o anúncio de algum evento profético. É a voz autorizada de Cristo que ouvimos. Eis a essência da esperança do povo de Deus de todos os séculos. Da certeza dessa promessa têm vivido Seu povo. “Amém. Vem, Senhor Jesus.” E ajuda-nos a estar prontos para recebê-Lo!

Apocalipse 22:21: “A graça do Senhor Jesus seja com todos. Amém.”


A graça é um ponto de encontro, / Lugar onde os fardos se espalham no chão, / Onde todo que chega cansado, / Tranqüilo descansa o seu coração.

A graça se explica em uma cruz, / Lá eu posso entender o que o Céu me traduz, / A morte era a minha sentença, / Mas agora sou livre em Jesus.

Graça simples assim, / Perdão se recebe, se aceita e fim, / Pecado não se explica, / Pecado se paga, / E cristo pagou por mim.

Havia imensa separação, / Entre a raça caída e o Deus do perdão, / Mas a graça fechou o abismo, / E sem hesitar estendeu-nos a mão.

Mostrou-nos a estrada de volta, / À casa do Pai onde iremos morar, / Nos dá a esperança que move, / A certeza que Cristo em breve virá.

Graça simples assim, / Perdão se recebe, se aceita e fim, / E Cristo pagou por mim.

O hino composto por Daniel Salles, cantado pelo quarteto Arautos do Rei, traduz perfeitamente a beleza e o magnífico significado da graça de Jesus. É essa graça que João estende aos filhos de Deus. O dom gratuito de Jesus Cristo oferece esperança a todos aqueles que almejam a vida eterna.

Ao aceitarmos Jesus como Salvador e Senhor de nossas vidas, cada um de nós oferece a Ele a oportunidade de efetuar Sua maior proposta: transformação de vida, refinamento do caráter e o verdadeiro sentido de ser um discípulo. Como conseqüência nos é garantida, pelos méritos de Jesus, a vida eterna ao lado do Rei dos reis e Senhor dos senhores.

Durante aproximadamente seis meses, estudamos verso por verso o livro de Apocalipse. Revelações que Deus concedeu ao apóstolo João para que ele transmitisse a todos nós. A importância de conhecer a verdade é que através dela desfrutamos da maravilhosa liberdade que Deus nos concede.

(Texto da Jornalista Graciela Érika Rodrigues, inspirado na palestra do advogado Mauro Braga.)



    Deixe uma resposta